Fulano de Tal


A orientação é para que se mantenha o sigilo a respeito da identidade de Fulano de Tal, que talvez possa ser revelada no romance Espaço da Morte, e a confidencialidade de algumas informações particulares, objetivando proteger a filha que ainda é criança e a memória da viúva do escritor (que faleceu em 2010, poucos meses depois do marido). Mas algumas informações, no momento, foram autorizadas.


Fulano de Tal nasceu em Curitiba/PR, em 1960.

Trabalhou em funções burocráticas em agências de publicidade de Curitiba e como auxiliar de redação em São Paulo, a partir de 2006, quando iniciou uma extensa troca de correspondência e e-mails com Paulo Soares.

Tentou publicar suas narrativas no blogue Cem Mais Nada, que não logrou êxito, mas que permanece ativo sob responsabilidade de Homero Gomes, onde podem ser encontradas algumas de suas produções e comentários. Interessante perceber que já naquela época haviam leitores instigados por essa produção, o que não chegou a motivar Fulano de Tal a continuar as postagens no blogue.

Efetuou, durante os anos de 2008 e 2009 - entre diversas revisões da obra, emendas e versões -, extenso contato com editoras, embora não fosse de sua natureza, as quais negaram a publicação de seu livro, alegando que Jamé Vu: narrativas-crônicas não se encaixava em suas respectivas linhas editoriais.*

Após isso, em 2010, já não mantendo a regularidade dos contatos com Homero Gomes, solicitou a este que publicasse de forma on-line o livro. Publicação que se iniciou em janeiro do mesmo ano em um blogue coletivo, mas que foi interrompida bruscamente em virtude de seu suicídio, ocorrido nos últimos dias de julho, na capital paulista.

O espólio de Fulano de Tal, depois de negociações da família com o editor do Mundo JAMÉ VU, liberou a obra para o resgate que está sendo empreendido aqui de maneira interativa, coletiva, colaborativa, dialógica e hiperliterária - no formato que os leitores eletrônicos (e-readers) atuais ainda não possibilitam e na forma que os leitores (de carne e osso) ainda não dispõe para leitura.

Essas amostras do livro de narrativas do Fulano de Tal podem ser lidas neste blogue. Lidas, divulgadas, copiadas e impressas. Se você é editor e gostaria de propor algo para o representante legal de Fulano, entre em contato.



Mais sobre Fulano de Tal no JAMÉ VU.


*crédito da foto: Dave McKean.

Short URL for this post: http://tmblr.co/Zy4yby
blog comments powered by Disqus